29 de mai de 2011

~Butterflies

Acredito que muitas vezes, alguém pode se tornar radical por algumas decepções, e não, não estou falando (somente) de decepções amorosas ou familiares. Um pseudo radicalismo conveniente que parece fortalecer, mas só enfraquece. Eu sou assim. Me tornei extremista por impulso cultivado com ansiedade.

Às vezes eu queria não ter que calcular tanto as minhas ações e poder simplesmente fazer o que eu quero. Já fui assim, mas acho que hoje em dia já sou mais forte que o nível de inconsequência que existe dentro da minha impulsividade.

Pisar em ovos é sempre tão ruim, porque te prende de uma forma tão forte ao chão e não te deixa escapar ou, ao menos, tentar escapar. Às vezes, eu fico com a constante impressão de que tô escapando pelas minhas próprias mãos, fugindo e tentando me libertar de uma sede que se veste de medo do que eu mais sinto necessidade. Mudar. Às vezes, não é nem fuga, é a simples sensação de me desacorrentar.

Eu são tão idiota. Eu faço muitas coisas de forma errada. Eu simplesmente tenho muito medo de magoar as pessoas e um medo maior ainda do medo em si. Sabe gente pé no chão? Então, eu sou quase o oposto. Não que eu não seja realista ou consciente, mas eu tenho uma mente muito inconstante, confusa, que não consegue parar de buscar, buscar, buscar... Acho que tudo que sempre procuro sentir são frios na barriga.

1 de mai de 2011

All Good Things Come to an End

Travelling, I only stop at exits
Wondering if I'll stay young and restless
Living this way, I stress less
I want to pull away when the dream dies
The pain sets in and I don't cry
I only feel gravity and I wonder why.