13 de abr de 2015

Inspiração

Tenho sentido essa constante necessidade de me inspirar, de me motivar. Sou eternamente grata ao fácil acesso aos vídeos através da Internet.
Então assisto essas entrevistas cativantes com diretores e produtores de filmes independentes e isso me enche de esperança.

É muito lindo e fascinante ver pessoas buscando o sentido da vida através da arte. É muito lindo ver pessoas jovens, amigas, que resolvem colocar algo no mundo. Que resolvem criar algo. Isso é mágico. ISSO É LINDO.

Muitos dos comentários dos vídeos falam sobre pretensão. É pretensioso querer encontrar beleza na vida? Encontrar harmonia estética e simbólica? Qual é o problema em querer mais do mundo? Em querer transformar caos em poesia? Extrair beleza da procura por sentido na vida...

Por que as pessoas tem tanto medo de entusiasmo? As pessoas tem medo de paixão, dessa carga energética que é colocada em cima desses projetos - projetos que os críticos de plantão consideram ambiciosos, mas são humildes E geniais - que trazem frescor.

É maravilhoso ser tocada pela paixão dos outros. Vejo essas pessoas fascinadas com o mundo em volta delas. Isso é o maior soco de esperança que uma pessoa pode me dar. Eles não estão fascinados com o dinheiro, nem com - como (infelizmente) muitas vezes o cinema é chamado - o negócio. Eles estão orgulhosos de uma criação/do resultado de uma união. Eles encontraram sentido nisso.

É pretensioso sentir?
É pretensioso gostar de algo e não ter nenhum problema ou frescura ao falar sobre sentimentos e símbolos?
Qual é o problema de mostrar empolgação?

A gente vive em um mundo muitas vezes brusco, que reprime desejos e euforia e priorizam uma atitude blasé e excessivamente crítica. Julgar, julgar, ridicularizar. As pessoas se privam de tudo.

Vamos respeitar o amor, porque ele é a nossa maior fonte de humanidade. É nele que a gente se permite a entrega, a renovação. Ele nos faz criar e sentir plenamente. Pelo resto do tempo as pessoas tentam fingir que não ligam pra nada (às vezes, realmente não ligam). Então, pelo menos quando se trata de amor - seja qual for o tipo; podendo também ser mais amplo que o amor entre duas pessoas -, vamos respeitar.

O amor invoca a verdade.

É pretensioso?
Eu acho corajoso demais.
Quero poder sempre me considerar fã. Com orgulho.

Queria agradecer às pessoas que buscam sentido e iluminam outras mentes. Artistas carregam o peso e a leveza do que é estar vivo.
Eu não conheço muitas dessas pessoas que já me fizeram bem, mas, se tivesse a chance, gostaria de agradecer por colocar positividade e prosperidade na minha vida. Elas fazem o que amam e eu sou grata a isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário